Guerra na Síria resulta na conversão de milhares de muçulmanos a Jesus

Do Gospel Prime

Nos últimos meses a guerra civil na Síria matou mais de cem mil pessoas desde seu início, em março de 2011. Também fez com que quase dois milhões fugissem do país, refugiando-se nos países vizinhos. Algumas agências humanitárias acreditam que o uso de armas químicas na semana passada pode ser um divisor de águas. Ou as Nações Unidas interveem e põem um fim ao conflito ou o número de refugiados sairá de controle.

Em média, cerca de 3000 refugiados saem diariamente pelas fronteiras da Síria. Entre as agências de socorro, existem ministérios cristãos que estão trabalhando para aliviar o sofrimento dos sírios. A rede cristã CBN visitou o trabalho no Vale de Bekaa, no Líbano, onde se concentra a ONG evangélica “Coração pelo Líbano”. Ali existe uma liberdade religiosa impensável para os que fugiram para o também vizinho Iraque.

Embora o foco sempre foi a evangelização de libaneses muçulmanos, nos últimos 18 meses eles se voltaram inteiramente para anunciar a esperança cristã para os sírios. Citada na Bíblia como um dos inimigos de Israel, hoje os seguidores de Jesus são menos de 10% dos 22 milhões de habitantes da Síria. Ela figura entre os 10 países que mais perseguem os cristãos no Oriente Médio, segundo a avaliação anual do ministério Portas Abertas.

Veja vídeo – http://cbn.com/tv/2625014413001

A ONU relata que 650 mil refugiados sírios vivem hoje no Líbano. Isso significa que uma em cada seis pessoas no país é um refugiado sírio. Obviamente, isso causa imensos problemas sociais. Se não fosse a intervenção de organizações como a “Coração pelo Líbano”, eles já teriam morrido de fome ou sede. Alguns chegaram lá apenas com a roupa do corpo. Na Jordânia eles são 515 mil, número que equivale a quase 10% da população.

Esta é a pior crise humanitária no mundo de hoje. Ninguém sabe quanto tempo a guerra ainda irá demorar e todos os refugiados querem voltar para casa e saber notícias dos seus familiares e amigos que ficaram para trás.

Em meio à tristeza pelos milhares de mortos e feridos, a esperança na vida eterna se fortalece. As agências cristãs têm oferecido ajuda material, emocional e, acima de tudo, espiritual. Os muçulmanos estão ouvindo o evangelho livremente, alguns pela primeira vez na vida. São muitos os testemunhos de conversões.

Fátima é uma menina tímida de dez anos de idade. Atualmente vive em uma barraca com as duas esposas de seu pai, e os 15 membros de sua família. Nawal, missionário da Coração pelo Líbano explica: “Fátima ganhou mais confiança. Ela fala com seus amigos e professores com mais facilidade e sabe que Deus a ama incondicionalmente. Sua fé em Deus ajudou-a a confiar em suas próprias habilidades e a ajudou a superar as adversidades”.

Mohssen, de seis anos, é um dos estudantes que recebem alimentos doados pelos missionários. Além de aprender a ler e escrever, também ouve diariamente histórias bíblicas. Sua mãe diz que ele mudou muito.

Esses são apenas alguns exemplos dentre as crianças sírias que têm aprendido músicas, jogos e ouvido lições bíblicas. As famílias atendidas pelos missionários são gratas pela alimentação recebida, mas os adultos são mais resistentes ao ouvir falar de outra religião além do islamismo.

Mesmo assim, mais de 25 mil Bíblias e 15 mil Novos Testamentos foram distribuídos aos interessados este ano, divulgou a Christian Aid, outra missão cristã que trabalha junto aos refugiados. Além disso, todos têm aceitado as orações feitas em nome de Jesus, que para os muçulmanos é um importante profeta. Esse tipo de trabalho seria impossível na Síria em outros tempos. Uma das maiores preocupações é discipular os milhares de novos convertidos para que eles se mantenham firmes após voltarem para casa com o fim da guerra.

Contudo, a longa duração do conflito tem deixado as missões preocupadas. Muitas delas estão no limite, já tendo investido todo o dinheiro que dispunham. Por outro lado, cada vez mais surgem refugiados cristãos, que contam como foram obrigados a deixar o país.

Conforme revela um pastor sírio: “Sendo cristãos ouvimos abertamente que não há mais lugar para nós, e somos atacados por ambos os lados (governo e rebeldes). Sentimos muito medo”.

Semelhantemente ao que ocorre no Egito, durante a guerra entre os que apoiam e os que se opõe ao governo, o país se tornou uma terra sem lei, o que motiva os extremistas islâmicos a perseguir matar cristãos indiscriminadamente. Com informações de CBN, CS Monitor, JNS e Christian AID.

Publicado em Notícias | Marcado com , | 1 Comentário

Hospital da era das Cruzadas é descoberto em Jerusalém

Do UOL

Arqueólogos israelenses descobriram na velha Jerusalém uma estrutura de grandes dimensões que pertencia a um hospital do período das Cruzadas há cerca de mil anos, que era muito movimentado e abrigava até 2.000 pacientes.

É o que informa nesta segunda-feira em comunicado a Autoridade de Antiguidades de Israel (AAI, na sigla em inglês), que realizou as escavações e encontrou uma galeria de arcos, de até seis metros de altura, do período das Cruzadas (1099-1291 d.C.).

O edifício, propriedade do Waqf, a autoridade de bens inalienáveis islâmicos, está situada no coração do bairro cristão da cidadela antiga de Jerusalém, em uma área conhecida como Muristan. Há cerca de dez anos, o lugar era ocupado por um movimentado mercado de frutas e verduras, mas desde então tenha ficado em desuso.

De acordo com a pesquisa, a estrutura descoberta é apenas uma pequena parte do que foi o grande hospital que parece abranger uma área que compreende 1,5 hectare.

Sua arquitetura é caracterizada por vários pilares e abóbadas de mais de seis metros, o que sugere que foi uma ampla estadia composta por pilares, quartos e pequenas salas.

Os coordenadores da escavação, Renee Forestany e Amit Reem, pesquisaram documentos da época para conhecer a história do centro ambulatório.

“Aprendemos sobre o hospital por documentos históricos contemporâneos, a maior parte em latim”, contam, e explicam que os textos mencionam a existência de um sofisticado hospital construído por uma ordem militar cristã denominada “Ordem de San Juan do Hospital em Jerusalém”.

Seus integrantes prometeram cuidar e atender os peregrinos na Terra Santa, e quando fosse necessário somar-se aos combatentes cruzados como unidade de elite.

Assim como nos modernos hospitais, o edifício estava dividido em diferentes alas e departamentos segundo a natureza das doenças e condição dos pacientes, e em situações de emergência podia ter capacidade de tratar 2 mil pessoas.

Os integrantes da ordem atendiam homens e mulheres doentes de diferentes religiões e também acolhiam recém-nascidos abandonados pelos pais.

Os órfãos eram atendidos com grande dedicação e, quando adultos, passavam a integrar a ordem militar, diz o comunicado.

A AAI destaca, no entanto, que quanto à medicina e à higiene, os cruzados eram ignorantes, e como exemplo cita um depoimento da época relatando que um médico amputou a perna de um cavaleiro por uma pequena ferida infectada, levando o paciente à morte.

Grande parte do edifício desmoronou durante um terremoto em 1457 e suas ruínas ficaram sepultadas até o período Otomano. Na Idade Média, parte da estrutura foi usada como estábulo e foram encontrados ossos de cavalos e camelos.

Publicado em Notícias | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Arqueólogos afirmam ter encontrado a casa do profeta Eliseu

Durante 16 anos de escavação no sítio arqueológico de Tel Rehov, no Vale do Jordão, um grupo de arqueólogos descobriram uma cidade de 3000 anos de idade. Nela, encontraram um edifício diferente dos demais, que acreditam ter sido a casa do profeta Eliseu. “A casa estava cheia de objetos diferenciados … dois altares de cerâmica usados ​​para queimar incenso”, explicou o arqueólogo Ami Mazar à CBN News. “Encontramos pequenas esculturas de barro e grandes vasos, que provavelmente eram usados ​​para servir comida. Não apenas para uma família típica, mas provavelmente  para uma comunidade maior”, disse ele.

Mazar também destacou que a casa tinha uma estrutura distinta das demais. “Normalmente, as casas tinham uma entrada que conduzia a um grande espaço com salas. Porém esta casa foi dividida em duas alas. Elas estavam ligadas uma à outra por corredores e cada uma tinha uma saída para a rua”. Os altares de incenso possivelmente eram usados ​​para se fazer uma oferta a Deus antes de entrar na casa, o que era típico nos tempos dos profetas bíblicos. Durante as escavações, os arqueólogos descobriram uma sala especial dentro da casa. Ela tinha uma mesa e um banco. Também descobriram um fragmento de cerâmica com o nome de Eliseu sobre ele, datada do século 9 antes de Cristo. Esse seria o indício mais forte que se trata da residência do profeta Eliseu.
“Descobrimos uma inscrição escrita com tinta vermelha na cerâmica, mas infelizmente está quebrada”, disse Mazar. ”Mesmo assim é possível ler o nome Eliseu”. Segundo a tradição, o profeta Eliseu nasceu cerca de sete quilômetros do local da escavação, em Avel Mehola e viajou por todo o reino de Israel. Para o arqueólogo Stephen Pfann, as evidências são convincentes. “Existiam apenas seis outras pessoas com o nome Eliseu conhecidas na época. Durante séculos isso permaneceu quase inalterada, podemos acreditar que esse local diferenciado tratava-se da casa de um homem santo cujo nome era Eliseu, provavelmente o conhecido profeta”, asseverou.
Publicado em Notícias | Marcado com , | Deixe um comentário

Arqueólogos afirmam ter encontrado vestígios do Tabernáculo do Testemunho

Um dos maiores símbolos de fé do Antigo Testamento, o Tabernáculo, espécie de “santuário portátil” que Moisés construiu segundo as orientações recebidas de Deus, sempre foi envolvido em mistério. Dentro dele, segundo o Livro de Êxodo, estaria a Arca da Aliança, que representaria a presença do próprio Deus andando com o povo. Durante os 40 anos que os judeus peregrinaram pelo deserto antes de entrar na Terra Prometida, o Tabernáculo foi montado e desmontado em vários lugares. O Livro de Josué diz que ele ficou muito tempo na cidade de Siló, cidade que foi atacada e quase totalmente destruída pelo filisteus por volta do ano 1100 a. C.  O tabernáculo saiu de lá de maneira definitiva para Jerusalém apenas durante o período em que viveu o rei Davi e foi substituído pelo Templo construído por Salomão.
Durante séculos arqueólogos procuraram por vestígios e muitas teorias surgiram sobre sua localização. Mas este mês um grupo de pesquisadores encontrou indícios reais do Tabernáculo dos israelitas no local onde ficava a antiga Siló. Segundo o jornal Yisrael Hayom, os arqueólogos mostraram os resultados de sua pesquisa na semana passada durante uma conferência realizada pela “Organização Siló”. As maiores descobertas são buracos escavados na rocha no local onde provavelmente eram colocadas as vigas de madeira usadas na estrutura do Tabernáculo. Próximo aos buracos localizados na porção norte do sitio arqueológico de Tel Siló, existem outros vestígios que confirmariam o período narrado pela Bíblia.
Vasos de barro e três grandes fornos foram encontrados em uma das estruturas. Os pesquisadores acreditam que eram grandes demais para uso doméstico. Isso torna mais provável que tais estruturas eram parte de um serviço religioso público. Além disso, foram encontradas ruinas do que parece ser o canto sudoeste da muralha que cercava a cidade de Siló, além de indicações de onde seria o portão de entrada da cidade, mais um indicio que comprovaria a localização do Tabernáculo. Existe abundancia de ossos de animais que deviam ter sido sacrificados nas cerimônias dos israelitas.  Hananya Hizmi, oficial do departamento de arqueologia da Administração Civil da Judéia e Samaria comemorou essa importante descoberta.  Os arqueólogos precisam   completar a escavação no local, o que demorará algum tempo, para que possam determinar mais detalhes sobre as condições que envolveram a estada do Tabernáculo em Siló.
Publicado em Notícias | Marcado com , | Deixe um comentário

O livro de Mórmon pode ser considerado histórico ?

Do Blog Pr Artur Eduardo

Suposta aparição do “anjo” Moroni, um descendente de judeus que teria habitado a América do Norte por volta do século 5 depois de Cristo, embora não haja nenhuma evidência arqueológica que algum descendente de judeus habitou qualquer lugar das Américas no primeiro milênio depois de Cristo.

O Mormonismo teve início quando Joseph Smith, um jovem de 15 anos de Nova Iorque, ficou perturbado por causa de vários avivamentos que ocorreu no local onde morava em 1820. Então resolveu sozinho ir a um bosque a fim de orar a Deus por orientação para saber qual das igrejas era a verdadeira. Em resposta às suas orações, ele alega ter sido visitado por Deus o Pai e seu filho Jesus Cristo, os quais lhe disseram que não se devia juntar a nenhuma daquelas igrejas porque todas as igrejas existentes nesse tempo eram uma abominação aos seus olhos, e ele, Joseph, restauraria a igreja verdadeira. Este acontecimento é comumente chamado de “A Primeira Visão.”

Smith só ficou famoso devido a esta suposta visão que teve quando ainda adolescente. Posteriormente, após 3 anos, ele teve outra visão onde um anjo chamado Moroni, lhe revelou que havia antigas escrituras de um povo que viveu a muito tempo no continente americano. Tais escrituras continham uma história sagrada escrita por hebreus da antiguidade que vieram para a América, gravada num dialeto egípcio em tabuinhas de ouro e enterradas num monte próximo. Smith supostamente traduziu estas escrituras de modo miraculoso, através de duas pedras:o Urim e Tumim que também estava preservados, com as placas de ouro. Segundo Joseph Smith, o Urim e o Tumim era um tipo de óculos divino (duas pedras em arco de ouro) que Deus havia conservado por milhares de anos e colocado numa caixa com as placas de ouro para ajudá-lo a interpretar e traduzir a língua na qual o livro estava escrito. Esta língua era o egípcio reformado. Segundo Doutrina e Convênios, José Smith declarou que Deus lhe dera poder para traduzir os hieróglifos do egípcio reformado para o inglês e produzir o que ficou conhecido como: o “Livro de Mórmon”,que alega conter “a plenitude do evangelho de Jesus Cristo” (D&C 20:9). Muitas outras revelações foram dadas a ele no decorrer dos anos, isto foi reunido em um livro chamado primeiramente de “Livro dos Mandamentos” e que só depois de 1835 foi renomeado como “Doutrina e Convênios”. Este livro contém alguns conselhos, doutrinas e regimentos internos da igreja para os mórmons.
Já o livro chamado “A Pérola de Grande Valor” que é o terceiro livro sagrado do mormonismo contém: “O livro de Moisés” [supostas visões de Moisés reveladas a Smith]; “O Livro de Abraão” [que Smith alega ter encontrado no Egito em forma de papiro escrito pelas mãos de Abraão, no entanto os estudiosos têm provado que este livro nada mais é do que uma cópia do livro pagão, “O Livro dos Sopros”, uma extensão de uma obra egípcia chamada “Livro dos Mortos”]; extratos de uma tradução da Bíblia feita por Smith [afirmava ser uma tradução inspirada da bíblia, contudo, os mórmons nunca usam tal tradução de tanto erros que contém]; e finalmente extratos da “História de Joseph Smith, o profeta”.(Fonte: A Mentira Chamada Mórmon)
Publicado em Notícias | Marcado com , , | Deixe um comentário

Documentário: “O Lado Obscuro de Michelangelo”

Enquanto o restaurador de obras de arte italiano Antonio Forcellino está limpando séculos de sujeira da estátua deMoisés, de Michelangelo, em uma igreja em Roma, ele desvenda um segredo há muito tempo escondido sobre a vida do grande mestre da Renascença. Forcellino embarca em uma missão para reexaminar as biografias, os registros históricos e as obras de arte criadas por Michelangelo, e chega a uma conclusão profundamente perturbadora: o retrato oficial de um Michelangelo como servo obediente aos papas e propagador apaixonado da Igreja Católica é um mito.

A verdade, como Forcellino descobre, é que o artista conspirou com um grupo de reformistas renegados para abrir as portas da Igreja para as doutrinas espirituais de seus maiores inimigos e rivais, os Protestantes.

Ao fazer isso, ele arriscou sua gloriosa carreira e um brutal castigo como herege pelas mãos da Inquisição. Este documentário acompanha Forcellino, o restaurador que se tornou detetive, conforme ele desvenda o mistério das mensagens hereges que Michelangelo embutiu em seus trabalhos mais famosos e rastreia sua fuga do Catolicismo em documentos há muito tempo esquecidos. Durante o processo, ele se distancia da história aceita sobre o artista e expõe pela primeira vez o lado obscuro da vida de Michelangelo que a Igreja lutou para esconder do mundo por quase cinco séculos.

Publicado em Mídia - (VÍDEOS), Notícias | Marcado com | Deixe um comentário

Pesquisador acha manuscrito da Torá mais antigo do mundo

O professor de estudos hebraicos da Universidade de Bolonha, na Itália, encontrou o manuscrito da Torá mais antigo do mundo guardado na biblioteca da instituição acadêmica. O pergaminho de pele de cordeiro, que mede 36 metros de comprimento e 64 centímetros de largura, foi escrito entre o fim do século 12 e o início do século 13Nucci Michele/Efe

 

A Universidade de Bolonha, na Itália, encontrou o que pode ser o manuscrito da Torá mais antigo do mundo, segundo um professor italiano que afirma que o texto sagrado foi escrito no século 12. O valioso pergaminho de pele de cordeiro foi catalogado de modo equivocado por um arquivista da biblioteca universitária em 1889, acreditando que ela pertencia ao século 17.

Mas o professor de estudos hebraicos Mauro Perani constatou que o texto era anterior às normas de escrita da Torá adotadas no século 12. “Imediatamente, percebi que era muito mais antigo”, disse ele. O professor explicou que o texto contém letras e sinais proibidos pelo erudito e filósofo judeu Moisés Maimônides no século 12.

“Este pergaminho é muito raro porque quando os manuscritos estragam, perdem sua santidade e não podem ser mais utilizados. Então, são enterrados”, explicou Perani. “[Mas] Seu estado de conservação é excelente.” “Os nazistas na Europa central e os fascistas na Itália destruíram dezenas de milhares de rolos. Aconteceu uma incrível destruição no século 20”, disse.

O texto foi submetido a várias análises de carbono na Itália e nos Estados Unidos, que confirmaram que foi escrito entre o fim do século 12 e o início do século 13. O pergaminho mede 36 metros de comprimento e 64 centímetros de largura.

Publicado em Notícias | Marcado com , , , | Deixe um comentário