Dicas para não errar na redação

Do Blog Pr Artur

Especialistas revelam “os 7 pecados capitais da redação” – CONFIRA!!

Para não ter a redação desclassificada, o candidato deve ficar atento aos aspectos formais. “A análise é técnica. É avaliada na correção a capacidade do candidato de se comunicar por escrito, de forma clara, sem tentar enganar a banca”, diz Paulo Del Bianco, coordenador da correção da Vunesp, que organiza o processo seletivo da Unesp. Professor da universidade, Rogério Chociay publicou um livro em que analisa as dissertações de vestibulares antigos da Unesp. Ele apresenta, e comenta, bons e péssimos exemplos de textos. “Algumas redações eu chamo de ‘camicase’. São praticamente um voo para a morte, para a anulação. Tem gente que escreve poesia, faz até desenho”.

OBS.: Abaixo, redações selecionadas por Rogério Chociay que demonstram problemas graves na composição da redação.

1 Letra
O candidato não precisa ter letra bonita, mas deve garantir que o corretor consiga ler seu texto. Leia (abaixo) a redação indecifrável do vestibular da Unesp de 2000. “Uma letra garranchuda e ilegível revela incapacidade de comunicar uma mensagem”, afirma Rogério Chociay.

2 Tamanho
A redação deve ter um tamanho adequado, em geral entre 22 e 30 linhas. Um texto como este revela a incapacidade do candidato de desenvolver o tema. Mas ele também não deve ser muito grande. Tamanho excessivo pode revelar dificuldade para concluir ideias. E nada de enganar os corretores com letra grande ou margens falsas, para dar a impressão de um texto mais longo.

3 ‘Lúdicas’
Nenhuma banca de vestibular leva em conta produções que não sejam textos. Mostra de ingenuidade ou ousadia, redações “lúdicas” são anuladas de imediato por fuga do gênero. Abaixo, uma clássica redação camicase, nota zero.

4 Fuga do tema
Nunca se deve fugir do tema proposto. “O vestibulando deve mostrar que apreendeu a questão em debate”, diz o professor Francisco Platão Savioli, da USP e do Anglo. O exemplo abaixo, do vestibular da Unesp, é uma coletânea de frases absurdas.

5 Fuga do gênero
Com exceção da Unicamp, em que a redação também pode ser uma carta ou narração, os grandes vestibulares pedem textos dissertativos. Não escreva textos que fujam ao que foi pedido, nem desenvolva ideias “criativas”, como feito na “redação” abaixo.

6 Sem argumentação
O candidato do exemplo abaixo fugiu totalmente ao padrão, fez um jogo de palavras e finalizou com duas perguntas retóricas. O corretor tem um sério motivo para desconsiderar um texto em que não há argumentação. “Na redação você tem que desenvolver um raciocínio, não pode ficar dizendo sempre a mesma coisa”, diz Maria Thereza Fraga Rocco, da Fuvest.

7 Poesia
“Não escreva nada além de prosa. Se você é um excelente poeta, ótimo. Mas não em dia de redação”, recomenda a professora de Português do Etapa Célia Passoni. Alé de escrever em verso, o candidato deixou um recado para o corretor.

A boa

A redação abaixo, de 1999, foi destacada no livro do professor Rogério Chociay como um bom exemplo. Ela apresenta coerência, usa a norma culta da língua e traz argumentos consistentes a favor de uma posição. “Não precisa ser original, mas dar uma proposta sustentável”, diz Francisco Platão.

Fonte: Estadão

Anúncios

Sobre ibrpe

De bem com a vida.
Esse post foi publicado em Notícias. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s